Pessoas e automatização na base da Transformação Digital da TI

Os serviços de TI deverão crescer cerca de 6% este ano no Brasil, aumentando neste índice a receita movimentada em 2021, que ficou na casa dos R$ 46 bilhões, segundo o IDC. Enquanto isso, a Transformação Digital da própria TI enfrenta desafios: ao mesmo tempo em que empresas e equipes precisam se expandir nesta área, a disponibilidade de profissionais qualificados para ocupar os cargos não acompanha o ritmo, deixando um rastro de carência que pode chegar, segundo a Softex, a 408 mil vagas em aberto em 2022.
 
Tanto que, para grande 45,7% das empresas brasileiras que já estão implementando ações dentro da Transformação Digital, ou mesmo para as 30,5% que ainda estão na fase de planejar estes passos, a falta de pessoal é um dos principais empecilhos, conforme estudo da SambaTech. E a realidade não é de hoje: lá em 2018 o Gartner já anunciava que, das iniciativas de digitalização em andamento, 30% poderiam ser afetadas pela escassez de talentos e conhecimento técnico.
 
Muito disso se dá pela perda de talentos para outros mercados. O próprio Gartner destaca o Brasil, ao lado de países como Rússia, Japão, Índia e Malásia, como grandes formadores de mão de obra qualificada em TI, mas também fortes exportadores destes cérebros, principalmente para locais como EUA e Europa.
 
Para melhorar este cenário, iniciativas para atração e retenção de talentos, valorizando especialmente o enriquecimento do conhecimento dos profissionais dentro das empresas, são essenciais. Na Qualitor, fazemos captação de recursos via LinkedIn e consultorias, dando prioridade a profissionais que sintonizem com nossos propósitos e valores, já que, segundo nossa Gestora de PessoasPatrícia Corso, o mercado atual abre muitas possibilidades para todos.
 
“Buscamos talentos com a formação, habilidades e competências para cada vaga aberta, porém estes mesmos talentos também têm à disposição muitas empresas, no Brasil e exterior, a escolher. Com a flexibilidade do mercado de hoje, bons profissionais podem escolher onde querem estar”, comenta Patrícia. “Felizmente, em nossas vagas temos tido rápido retorno na captação de colegas com o perfil Qualitor”, complementa.
 
Para além da captação, investimos também em retenção, com fortes programas de incentivo, valorização e conhecimento, disponibilizando oportunidades para que nossos talentos se especializem dentro da empresa, seja pelo compartilhamento de conteúdos, seja por treinamentos e certificações, seja via Qualitor Academy, oferecendo cursos online que qualificam não só nossas equipes, mas também as de nossos clientes.  
 
Vale lembrar que, no tripé da boa gestão, as pessoas são um pilar, mas há ainda outros dois: processos e ferramentas, sendo este terceiro item também essencial para vencer os desafios da Transformação Digital na TI. Automatizar tarefas operacionais pode suprir lacunas e melhorar as entregas, digitalizando o que é possível e legando para os talentos humanos o que exige sua intervenção ou ação direta.
 
Qualitor também ajuda nisso, trazendo recursos para digitalizar o gerenciamento de serviços de TI com a qualidade de quem tem certificação Pink Verify em 5 processos: Gestão de Mudanças, Gestão de Incidentes, Gestão de Problemas, Configuração e Serviços.

Conte com a gente para automatizar sua gestão de serviços e acelere a Transformação Digital da sua TI.

Sabia que, apesar dos desafios, a TI vivenciou uma aceleração de sua Transformação Digital nos últimos 3 anos? Resultado da pandemia da Covid-19, que obrigou empresas e setores a automatizarem funções para suprir a demanda de pessoas que não podiam se locomover devido ao isolamento social.
 
Conforme a PwC Brasil, de 3.249 executivos de negócios e tecnologia ouvidos em 44 países, sendo 109 no Brasil, a digitalização ocorreu principalmente em tarefas aliadas à gestão, serviços, cibersegurança, suporte e service desk.

As cores do mês de agosto são laranja e dourado, representando as campanhas de conscientização sobre a Esclerose Múltipla e a importância do aleitamento materno, respectivamente.
 
No Agosto Laranja, lembra-se uma doença neurológica e autoimune que afeta em torno de 2,5 milhões de pessoas em todo o mundo, conforme a OMS. Sem cura, a Esclerose Múltipla pode ser muito bem controlada se for detectada precocemente, daí a importância da conscientização.
 
Já o Agosto Dourado trata sobre a amamentação. Considerado o alimento mais completo para os bebês, o leite materno é de suma importância, inclusive para aumentar a imunidade infantil. Segundo a OMS, mais de 6 milhões de vidas são salvas pelo aleitamento todos os anos.

Em linha com as campanhas deste mês, reunimos algumas dicas de profissionais de saúde para os dois temas.
 
No caso do aleitamento materno, a dica é que mães em fase de amamentação não ingiram álcool, cafeína, alimentos crus ou processados e aqueles que podem causar alergias fortes, como frutos do mar. Todos estes itens podem afetar o bebê, embora não haja comprovação direta do grau de impacto sobre a criança.
 
Já em relação à Esclerose Múltipla, a melhor dica é a informação. Se você foi ou conhece alguém que foi diagnosticado, busque conhecimento sobre a doença, e fuja dos mitos, como o de que ela mata: EM não é fatal, e é possível conviver com ela. Além disso, entenda que os sintomas mudam de pessoa para pessoa e são imprevisíveis, mas alguns, como a fadiga extrema, podem ser desencadeados por gatilhos que podem ser evitados, como banhos muito quentes, falta de sono e ingestão de álcool em excesso.

Quando: Os segredos científicos do timing perfeito
 
O autor Daniel H. Pink trata, nesta obra, da vida como uma sucessão de decisões relacionadas a “quando”, abordando os mais diversos campos: negócios, cursos, relacionamentos.
 
Para ele, estas decisões não devem ser baseadas em intuição, mas em ciência. Unindo estudos de psicologia, biologia e economia, ele explica como utilizar padrões ocultos do dia a dia para construir a agenda ideal no dia a dia ou em momentos críticos, como o de mudar de emprego ou cidade.

 

Share This
×