Nem o que, nem quem, nem como: a pergunta certa é QUANDO

Tomar decisões, que levam à realização de ações, que determinam direcionamentos e resultados nos mais diversos aspectos – no trabalho, no cotidiano pessoal, enfim, na vida. Ao contrário do que se costuma pensar, tudo isso pode não ser apenas questão de “o que” levou a cada movimento, ou quem foi responsável por cada passo, mas sim de “quando”.
 
O tempo está diretamente relacionado com as ações e decisões diárias, bem como com seus impactos positivos e negativos no dia a dia. É o que definem conceitos como o tratado no livro When (Quando, em tradução livre), do autor Daniel H. Pink,, que relata como a agenda influencia diretamente no que fazemos ou não fazemos, no que buscamos e conseguimos ou não alcançar.
 
A obra, sobre a qual você terá mais detalhes em nossa Dica de Livro de hoje, ao final da News, trata sobre padrões de horários e seus reflexos na atuação humana. Por exemplo: você já deve ter percebido que rende melhor em algum turno – manhã, tarde ou noite. Ou já deve ter precisado fazer um serão para entregar alguma coisa, cuidar de alguém, resolver alguma situação. Ou, ainda, teve de levantar ainda de madrugada para realizar algo, fazer uma viagem, entre “N” outras possibilidades.
 
Pois em todas elas o tempo pode ter sido fator determinante. Aquele projeto que deu muito certo com toda a certeza foi realizado no tempo certo, ao menos para a maioria dos envolvidos diretamente em sua execução. Já aquele empreendimento que não vingou pode ter sido decidido, ou aberto, ou conduzido em momentos que não eram os melhores para quem conduzia.
 
Uma simples troca de horário pode fazer muito pelos seus resultados. Isso é ciência, está na obra de Pink, e tem comprovações diretas no cotidiano. Quer ver? Vamos a algumas:
 
– Estudando nossa plataforma de gestão de atendimento Qualitor, já notamos que a abertura de chamados em nossos clientes cresce significativamente entre 9h e 11h da manhã, bem como nos horários de 14h e 17h à tarde.
 
– Já nos horários do início da manhã e após às 18h há queda acentuada, que se torna abrupta após as 21h.
 
– Uma leitura de indicadores que aponta para um comportamento matutino e vespertino, o que nos auxilia na definição de recursos e ações em relação aos nosso público, e também certamente pode nortear ações das empresas que utilizam o Qualitor, guiadas pelas informações de atividade de seus usuários. Tudo com base na variante “quando”.
 
Pura ciência. Além do que trata Pink em seu livro, há o Ciclo Circadiano, que é o mecanismo pelo qual o organismo humano se regula fisiologicamente entre dia e noite.
 
O período de 24 horas define quando despertamos, sentimos fome, ficamos mais ou menos ativos, temos sono, entre outras situações.
 
De dia, a luz do sol indica ao relógio biológico que é momento de estar ativo. No início da noite, nosso cérebro começa a produzir melatonina, substância que induz o corpo ao relaxamento e ao sono. Já de manhã começa a produção de cortisol, que nos mantém acordados.
 
Mas nem por isso todo mundo produz mais de dia: fatores como a genética ou a rotina de longo prazo podem determinar variantes, como pessoas que produzem mais à noite.
 
É importante conhecer seu Ciclo Circadiano, seus “quandos”, para estabelecer um padrão de rotina que leve a produzir, descansar e viver melhor. E isso também se aplica à gestão: os “quandos” de cada indivíduo em uma organização (o que os cientistas chamam de Cronotipo) determinam sua produtividade, sendo fundamentais para delegar os recursos certos para cada tarefa a cada momento.
 
E não se trata somente de rendimento profissional, mas de saúde física e mental. As emoções, por exemplo, estão diretamente ligadas a isso tudo. Como medir? A observação e auto-observação são bons métodos. Mas há também práticas científicas, como o chamado Método de Reconstrução do Dia, que permite medir nossas experiências afetivas diárias e, a partir disso, avaliar em que momentos nos sentimos desta ou daquela maneira.
 
Isso facilita entender quando você se sente feliz, triste, estressado, motivado, disposto, cansado e muitas outras sensações que possibilitam entender como cada momento interfere em suas ações, pensamentos, decisões e, como consequência, nos resultados que gera.
 
Preste atenção aos “quandos” – seus, de suas equipes e das pessoas com que convive. Sem dúvida isso irá auxiliar na melhoria de suas relações pessoais e de trabalho, além de facilitar o alcance de seus objetivos.

Sabia que hábitos contrários ao seu relógio biológico tendem a desequilibrar seu Ciclo Circadiano, e que isso pode trazer problemas a sua saúde?
 
Fatores como dormir muito tarde, alterar constantemente o horário de trabalho ou das refeições, fazer viagens com mudança de fuso horário e mudança de estações podem perturbar o Ciclo Circadiano, gerando sintomas como cansaço ou até mesmo fadiga extrema, perda de concentração e memória, dor de cabeça, irritabilidade e dores musculares.
 
Ao longo do tempo, estas situações podem se acumular e gerar problemas mais graves, relacionados à pressão arterial, frequência cardíaca, respiração, metabolismo corporal, sistema urinário, entre outros.
 
Respeitar o relógio biológico é um ótimo passo para uma vida melhor!

Não é apenas a qualidade e quantidade do que você come que tem impacto sobre sua saúde: o horário das refeições também. Conforme o pesquisador Satchin Panda, professor do Salk Institute e autor do livro The Circadian Code (O Código Circadiano, em tradução livre), limitar a alimentação às primeiras oito a dez horas em que estamos acordados é mais indicado, pois dá ao organismo tempo suficiente para digerir os alimentos de forma adequada, deixando o corpo preparado para descansar.
 
A pesquisa indica que comer em horários fora do Ciclo Circadiano pode trazer problemas metabólicos, intestinais, de colesterol e até mesmo diabetes.
 
Portanto, ao comer, olho no relógio!

Para praticar exercícios, é importante prestar atenção aos seus horários de maior disposição e rendimento.
 
Se você é uma pessoa matutina, pode preferir se exercitar bem cedo, antes de iniciar suas demais rotinas. Isso é bom, pois o exercício físico libera neurotransmissores – como endorfinas – que fazem você se sentir com mais vigor e melhoram seu humor.
 
Já se você é do time que prefere se exercitar à noite, também há benefícios: como o corpo está desperto há muitas horas, já está “aquecido”, e isso diminui o risco de lesões. Além disso, o exercício noturno também libera os neurotransmissores do bem estar, ajudando a relaxar.
 
Só tome cuidado para não fazer exercícios de alta intensidade após as 21h, pois podem afetar os padrões de sono e causar fadiga e cansaço posteriores.

Nem intuição, nem adivinhação, nem coincidência: para o autor deste livroDaniel H. Pink, o que melhor interfere nas decisões do dia a dia, seja no âmbito pessoal ou profissional, é o timing.
 
Com base em uma extensa pesquisa, que envolveu áreas como psicologia, biologia e economia, Pink descreve como o fator “quando” impacta a maneira de viver, trabalhar e ter sucesso.
 
Na obra, o autor trata de questões como: o que é preciso para construir o cronograma ideal? Como entender seus horários de maior e menor rendimento? Como mudar hábitos de acordo com o timing e, com isso, transformar resultados?
 
Entre estes e muitos outros questionamentos, Pink apresenta uma compilação riquíssima de dados para mostrar como o tempo é fator determinante no viver, agir, gerir e impactar.

Uma narrativa fascinante, cheia de histórias ilustrativas e dicas práticas imperdíveis.

Share This
×