análise de produtividade

Análise de produtividade no trabalho remoto: saiba como fazer!

Antes da crise sanitária, acompanhar o colaborador era uma tarefa mais fácil, visto que ele estava trabalhando no escritório. No entanto, tal cenário vem mudando e fazendo com que as empresas lançassem mão de novas ferramentas para análise de produtividade no trabalho remoto.

Existem gestores que ainda sentem essa dificuldade em saber se o rendimento do colaborador no trabalho remoto se manteve, diminuiu ou cresceu. Por isso, neste artigo, traremos dicas e ferramentas que podem ser utilizadas para esse fim. Ficou interessado? Continue a leitura e fique por dentro do tema!

Quais são as dicas para análise de produtividade no trabalho remoto?

Embora o trabalho remoto seja útil na economia de gastos para a empresa, é preciso adotar alguns procedimentos e ferramentas. Ter o domínio de tais soluções é o que fará a companhia dispor de dados confiáveis sobre a produtividade dos profissionais, de modo que ajustes e melhorias possam ser feitos. Acompanhe as subseções a seguir e veja as dicas que preparamos para você!

Contar com a tecnologia

Nos últimos anos, a transformação digital tornou-se praticamente um imperativo nas empresas, exigindo não só modernização em termos de equipamentos e ferramentas, mas também uma mudança na cultura organizacional. O trabalho remoto passou a exigir uma série de novos procedimentos que só são possíveis por meio da tecnologia, tais como:

  • assinatura digital;
  • acesso e edição de documentos na nuvem;
  • registro de ponto online.

O uso de papéis, portanto, tende a ficar cada vez mais obsoleto, dando lugar a softwares de automação de tarefas e meios de armazenamento na nuvem. Essa mudança beneficia bastante a empresa, uma vez que ela reduz vários custos, como papel, tinta e manutenção de impressoras. É inegável que o investimento em tecnologia tende a dar retorno ao negócio em pouco tempo, mesmo que uma quantidade considerável de dinheiro seja usada.

Analisar prazos e métricas

Tarefas devem ser delegadas com prazos, e o uso de ferramentas como o quadro kanban pode ser de grande ajuda. Isso porque o colaborador passa a visualizar rapidamente o status de cada atividade, de modo que ele tenha um controle mais efetivo do trabalho que lhe foi confiado.

Realizar pesquisas de satisfação

Uma pesquisa pode ajudar na hora de o gestor identificar alguma situação que esteja atrapalhando a produtividade dos colaboradores. Quando os clientes são consultados é possível coletar informações que serão referência na realização de ajustes, caso o nível de satisfação do consumidor esteja baixo ou mediano.

Fazer reuniões periódicas online

Para cobrir a lacuna das reuniões presenciais, fazer encontros virtuais periódicos é fundamental para saber como está a equipe remota. Além de passar notícias da empresa, é de grande importância coletar feedbacks dos colaboradores acerca do trabalho remoto, bem como dúvidas e reclamações.

Também vale ressaltar que a adoção de metodologias ágeis nas empresas requer bastante comunicação, de modo a verificar como está o andamento de algum projeto ou quaisquer outros processos na empresa. Nesse sentido, deve-se lançar mão de encontros curtos e diários, porém diretos e objetivos.

Usar boas ferramentas de comunicação interna

Dando continuidade à dica anterior, além de fazer reuniões online periódicas, é preciso, também, fazer isso com uma boa ferramenta. Existem muitas soluções gratuitas e pagas no mercado, que possuem recursos como chat e gravação da reunião. Isso é útil, por exemplo, para algum colaborador que não pôde participar do encontro que foi marcado naquele horário.

Acompanhar indicadores

O uso de tecnologia permite uma coisa que antes era bem mais difícil de coletar com exatidão: dados e indicadores de desempenho. Muitos dos softwares usados pelas empresas geram relatórios e dashboards com informações precisas e em tempo real sobre o negócio, o mercado e a produtividade dos colaboradores. Interpretar esses indicadores pode mostrar se uma estratégia específica deve ser mantida, repensada ou, até mesmo, eliminada do cotidiano da companhia.

Elaborar um manual com a prática de trabalho remoto

Fazer um manual com as práticas do home office é de grande utilidade tanto para o gestor como para o colaborador. Com esse documento, o profissional passa a ter um norte sobre as condutas a serem tomadas no trabalho remoto, relacionadas, por exemplo, com as responsabilidades do colaborador e as do gestor.

Em outras palavras, dependendo da situação, é o manual que dirá se ela deve ser resolvida pelo profissional ou encaminhada para a gestão. Também é imprescindível determinar se a modalidade de trabalho permanecerá com base em horas trabalhadas ou por tarefa entregue.

Muitas empresas estão adotando o segundo por acreditarem que não faz muito sentido ater-se à quantidade de horas. Isso porque o colaborador pode entregar uma boa quantidade de tarefas em um tempo não muito grande. Por fim, outro ponto crucial é a definição de objetivos e metas que sejam realizáveis no trabalho remoto.

Elaborar um plano de desenvolvimento individual

Um plano que descreve o desenvolvimento do colaborador é um grande indicativo de que a empresa se preocupa com ele. Para elaborá-lo, é preciso que o gestor e ele se reúnam para que sejam estipuladas metas individuais a serem batidas, sendo que isso pode ser feito por meio de treinamentos. Dessa forma, o profissional passa a ter uma maior motivação no trabalho remoto, empenhando-se cada vez mais em agregar valor ao negócio.

Criar uma cultura de responsabilidade dos colaboradores

Em um escritório, é muito mais fácil o colaborador ter ciência daquilo que precisa fazer. Do contrário, as pendências se acumulam e passam a prejudicar a empresa. No entanto, a partir do momento em que ele passa a trabalhar home office, é fundamental que essas responsabilidades não só se mantenham, mas até aumentem. Como foi falado, ele deve saber quais atribuições são da competência dele e quais devem ser encaminhadas aos seus superiores.

Viu como a análise de produtividade pode ser feita no home office? Como vimos no texto, a tecnologia é um dos principais pilares dessa modalidade de trabalho que teve seu uso amplificado em virtude do distanciamento social. A modernização e digitalização dos processos são cruciais para que a empresa permaneça operacional e competitiva, de modo a manter e expandir a sua base de clientes.

Se você gostou do artigo e deseja acompanhar outros conteúdos como este, aproveite e siga-nos nas redes sociais. Temos um perfil no LinkedIn e uma página no Facebook!

Share This
×